Skip navigation

Tag Archives: Conjur

Em comentário a

http://www.conjur.com.br/2015-abr-10/thiago-nicolay-cpc-altera-cobranca-cotas-condominiais/c/1

Com execução extrajudicial de cotas condominiais, além da famosa “exceção de pré-executividade”, ensejará impugnação aos cálculos, que substituirá a contestação no rito sumário, para pleno exercício do direito de defesa do condômino. A diferença está no efeito suspensivo, que pode não ser concedido, para levar o imóvel logo a leilão, independentemente de futuro acertamento da dívida. É possível antever, portanto, que os condomínios se tornarão um verdadeiro campo de batalha. O acirramento de relações condominiais é previsível, porque a qualidade da representação dessas entidades, na minha experiência, é feita “de araque”, até para, em nome do bem comum, poder defender os interesses de condomínios cada vez maiores. Como mostra o programa “Minha Casa, Minha Vida”, a massa continua a ser desorganizada para ser dominada pelos seus empreendedores/administradores, tanto nos bairros nobres como nos pobres, estes onde, hoje, impera a “milícia” no comando da sociedade civil, para funções tipicamente condominiais, além de abastecimento e transporte locais. Primeiro vai pegar fogo na zona sul, mas é inevitável enfrentar esse problema. As novas possibilidades da telecomunicação tornam as regras de funcionamento de condomínios, atualmente em vigor, uma piada. A tecnologia permite que todos se sentem ao sofá da sala para participar da reunião pela televisão ou pelo celular, com ampla possibilidade de interação e franca disponibilidade de acesso a documentos. Falta o que? Uma lei que obrigue a desintermediar a administração e facilite a autogestão? Não, falta implementação da Infraestrutura Nacional de Dados Abertos, para proporcionar a construção de uma solução padronizada globalmente-OGP, inclusive porque serve para muito mais que condomínios de apartamentos.

Comentário a http://www.conjur.com.br/2015-mar-18/regras-campanha-oab-sao-ditadura-eleitoral-especialista

Em casa de ferreiro, espeto de pau !

Advogados já tem identidade digital, de modo que se poderia facilmente implementar votação pela internet, mas aí iam acabar tendo que publicar as atas do conselho e não ia demorar pra perceber que fazer eleição em chapa é patético.

A reforma política tem que começar em casa.

A OAB deveria levar primeiro ao congresso uma reforma de seus Estatutos para a eleição direta e o funcionamento virtual da entidade, no mínimo, para dar exemplo e modelo de uma nova democracia.

As medidas aqui criticadas só fazem imitar os partidos políticos, ao cercear a entrada no jogo de novas agremiações, cujos caciques nos fizeram a todos de reféns da SUA democracia.

Por isso, quando o presidente da OAB chegar com a papelada da reforma política sugerida, arrisca ouvir: Macaco, olha o teu rabo !